O Google está trabalhando em outro sistema operacional. Descoberto no último final de semana, o Fuchsia ainda não foi revelado oficialmente, mas o código-fonte já está disponível no GitHub. Pela documentação, é possível saber que o Fuchsia será capaz de rodar em smartphones e computadores mais poderosos. E olha que curioso: diferente do Android e do Chrome OS, ele não é baseado no Linux.O Android Police, que analisou o código-fonte do Fuchsia, descobriu que ele é baseado no kernel Magenta. Esta página do Google diz que o Magenta deriva do LK, um núcleo que normalmente é utilizado em dispositivos simples, com baixa capacidade de hardware e tarefas bem definidas. Pense em algo como um roteador ou um painel de entretenimento automotivo, por exemplo.

No entanto, o kernel Magenta “tem como alvo os smartphones e computadores modernos com processadores rápidos, quantidades não triviais de RAM com periféricos arbitrários fazendo computação aberta”. E ele traz diferenças bem relevantes em relação ao LK, como a capacidade de suportar contas de usuário e funções de segurança, como permissões, o que permitiria ao Google construir um sistema operacional completo.

Também foi descoberto que o Fuchsia é programado em Dart (uma linguagem criada pelo Google), tem interface construída com Flutter (que permite desenvolver aplicativos de Android e iOS aproveitando o mesmo código) e traz um motor de renderização chamado Escher (que suporta sombras, reflexos e outros efeitos visuais bastante utilizados no Material Design).

Você pode ver um pequeno preview desse sistema operacional, baixando um launcher, mas é apenas um preview não é o sistema operacional em si, o download está logo abaixo: